A Crença nas Crianças. Por Rogério de Melo Morais

As crianças representam a maior esperança de transformação da humanidade. Não só porque elas têm mais tempo de vida pela frente, mas também porque o esforço de garantir atenção adequada para elas demanda e gera impactos intergeracionais.


Tudo começa com a ampliação da consciência da geração atual dos adultos sobre a importância dos cuidados com a primeira infância. Existe um movimento de advocacy em curso, feito por especialistas e organizações da sociedade para espalhar informações científicas de como os primeiros anos podem impactar na vida toda.


Devido as lacunas atuais de acesso e de qualidade de serviços básicos de educação, assistência social e de saúde no Brasil, esse movimento de conscientização é fundamental, pois busca o comprometimento de diversos segmentos civis, não apenas dos governos, para uma maior reação frente aos desafios.


Todo o investimento feito nas crianças de hoje, além de atender a direitos e princípios de cidadania e dignidade, apresentam-se com o melhor retorno possível. Mais cuidados com a saúde dos pequenos, significa menos doenças quando adultos. Mais afeto e proteção na primeira infância, podem gerar mais equilíbrio mental. Mais educação infantil, pode proporcionar uma melhor trajetória escolar e, consequentemente, mais empregabilidade e renda.


Estas mesmas crianças serão adultos referência de uma nova geração, de seus filhos e netos, que, certamente, darão continuidade aos esforços em prol da vida, pois os exemplos parentais tendem a ser replicados. Portanto, a quebra de um ciclo vicioso, permite a imediata iniciação de um ciclo virtuoso, reverberando impactos através dos vínculos familiares.


Assim, a lógica nos faz acreditar que a alegria no rosto das nossas crianças representa não apenas um instante de felicidade, mas uma luz com capacidade de viajar no tempo e iluminar o futuro da humanidade. Esta é nossa crença.


leia no jc



0 visualização0 comentário